7ª maratona do porto.

“if you want to run, run a mile. if you want to experience a different life, run a marathon.” emil zatopek

objectivo cumprido. 4h00m55s. é duro, muito duro. mas correu bem, dentro do planeado, acabar a 1ª maratona em que participei e ficar com vontade de fazer mais.

o dia amanheceu cinzento, fresco e com uma chuva muito ligeira. condições ideais para enfrentar a grande prova. bom prenúncio, pois era exactamente este tipo de tempo que desejava. partida dada às nove em ponto e eis que a rua júlio dinis foi imediatamente inundada por um mar de corredores. 1500 na maratona e mais umas largas centenas na prova de 14 km. muito bom, a prova não iria ser solitária.

entrei facilmente num ritmo confortável, tendo passado a 1/2 maratona em 1h54m, boa indicação para a segunda parte da prova, sabendo de antemão que o ritmo iria diminuir um pouco. assim sendo, lá fui cumprindo a prova, aproveitando para apreciar a bonita paisagem que este percurso proporciona. os km foram sendo conquistados até que cheguei à temida barreira dos 35, a tal onde a “temível parede” se apresenta aos corredores. pois bem, no meu caso se ela estava lá não a senti, pois passei os 35, 36 e 37 no ritmo estável que trazia e que já me punha na meta em menos de 4h00. para estreia estava a ficar interessante, muito mesmo.

porém, assim que passei a placa dos 38 km, tive uma pontada muito aguda na zona do diafragma no lado direito, o que me deixou preocupado. cada passada provocava um desconforto terrível, pelo que tive que diminuir o ritmo e tentar alguns truques respiratórios para ver se a dita desaparecia. e foi de braços esticados para cima e para baixo que percorri o km 38, o que me custou uns 3 minutos extras. mas lá consegui recuperar e voltar ao ritmo anterior a partir do km 39,5. daí até à meta foi sempre a acelerar, dado que a adrenalina estava no máximo. cortar a linha de chegada numa maratona é uma sensação indescritível. é a recompensa de semanas e meses de sacrifício e disciplina. é a certeza de que querer é poder. é o triunfo da mente sobre o físico. é um teste à nossa resiliência.

não se faz uma maratona só para ver como é que é. na essência é uma prova brutal, que exige muito treino e paciência. mas é nisso que reside a sua atracção. fica-se “agarrado” e a pertencer a um clube muito restrito.

SOU MARATONISTA!

Anúncios

4 comments

  1. Parabéns, Parabéns, Parabéns!
    BEM VINDO AO CLUBE DOS MARATONISTAS!
    Daqui para a frente tudo vai ser diferente para si no que diz respeito à corrida, depois de se correr os mágicos 42,195 km nada é igual.
    Grande abraço e recupere com toda a calma!

    1. muito obrigado jorge. vou recordar o dia 7 de novembro para sempre e guardar o dorsal e a medalha como dois bens preciosos. entrei no clube à custa de muito suor e algumas lágrimas. um abraço.

  2. Parabéns Paulo pela 1ª Maratona, pelo grande desafio superado! Cortar a Meta é mesmo uma emoção indescritível e é mesmo uma prova que nos torna grandes, pelo desafio que coloca tanto ao físico como à mente: é conquistar o Olimpo! Agora é pensar na próxima e trabalhar (arduamente!) para ela… Até breve.

    1. obrigado graça. e parabéns também para ti, por teres melhorado substancialmente o teu tempo. o esforço e dedicação compensam.
      beijinho e foi um prazer rever-te.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s