de visita aos tios…

hoje fui visitar os “tios”. ando pouco assíduo aos treinos, pois fazê-lo com regularidade e sem um objectivo próximo definido tem que se lhe diga a nível de motivação. outro factor que contribui para o estado actual é a saturação dos percursos habituais, percorridos vezes sem conta, ao longo de meses a fio. daí que, com o objectivo de variar, hoje fiz o percurso entre o estoril e o guincho.

este é um percurso com ares de cosmopolita, que se desenrola numa zona dita “bem”. nunca entendi verdadeiramente o significado da expressão aplicado a este local, dado que, tirando um ou outro “oásis” de planeamento urbanístico realmente bem pensado, a selva de betão há muito que tomou de assalto a área urbana entre estoril e cascais. felizmente temos o atlântico a pôr um ponto final no desvario urbanístico instalado, atendendo a que, por enquanto, ainda não se constroem condomínios modernaços dentro de água. já quanto à área do parque natural vamos ver quantos mais anos resistirá às investidas do “progresso” e “projectos estruturantes”, que políticos de meia-tigela de braço dado com os patos-bravos estão sempre à espera de levar por diante, destruindo o património que é de todos nós.

este percurso tem três características distintas: o passeio marítimo que liga o estoril a cascais, a parte urbana percorrida dentro de cascais e a ciclovia/via pedestre que liga a marina ao guincho.

a primeira parte do percurso é um passeio à beira-mar, serpenteando por entre os inúmeros transeuntes que por ali caminham e quase entrando pelas esplanadas dos bares que ali existem. bonito, mas quanto mais depressa dali sairmos melhor. acabado o passeio marítimo, temos 1 km pelo centro de cascais até chegar à marina, sendo estes 3 primeiros km um bom aquecimento para o resto do treino.

chego à marina e ao início da ciclovia. de bicicleta, a correr ou a caminhar, esta é uma via com grande utilização. são 8,8 km de percurso aberto e sempre paralelo ao mar, no qual podemos desfrutar de uma das mais fantásticas paisagens atlânticas que temos ao nosso dispor. estende-se pelas avenidas rei humberto II de itália, da república e da senhora do cabo, ligando à en 247, mais conhecida como estrada do guincho, na zona do cabo raso.

percorrer esta ciclovia é também fazer um passeio turístico por alguns locais de interesse paisagístico e monumentos classificados, começando logo no início pela boca do inferno, seguindo-se o complexo da guia, o farol da guia, o forte de s. jorge de oitavos, as furnas, o farol do cabo raso, o forte de crismina e o forte do guincho, local de retorno ao ponto de partida.

fui bafejado pela sorte em termos de tempo. céu pouco nublado, temperatura amena, vento fraco de norte e umas fantásticas ondas de nw, proporcionaram um magnífico cenário durante os quase 25 km percorridos. um grande bem haja para s. pedro e b´jinhos para a “tia xaxão” e o “tio batata”.

prometo voltar no dia 6 de março para os 20 km de cascais.

características do percurso – piso: duro; distância total: 12 ou 24 km; retorno: opcional; água: sim; estacionamento: fácil; grau de dificuldade (1 a 5): 3; coordenadas gps: n38º42.502, w9º23.854; altimetria: gráfico abaixo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s