colinas de lisboa. parte 1.

lisboa 1572. “civitatis orbis terrarum”.

quantas colinas tem lisboa? não sei ao certo quantas são e, até à data, não consegui esclarecer a questão. 7 é o número normalmente referido na promoção turística, 8 o consensualmente aceite. porém, na realidade, existem pelo menos 9, atendendo a que a colina de são jerónimo, no restelo, também faz parte da geografia da cidade. mas nada como recuarmos no tempo para perceber o porquê desta questão.

a citação referente às sete colinas de lisboa aparece pela primeira vez no séc. XVII, no livro das grandezas de lisboa, de frei nicolau de oliveira: “as sete colinas sobre as quais estava assente lisboa: castelo, são vicente, são roque, santo andré, santa catarina, chagas e sant’ana”.

a ideia destas presumíveis sete colinas poderia advir dos romanos, que viam em olisipo uma estrutura geográfica semelhante à da capital do império romano. refere a lenda que roma, quando foi fundada, era rodeada por sete colinas, a saber: campidoglio, quirinale, viminale, esquilino, celio, aventino e palatino.

mas, independentemente desta proveniência lendária popular, foi frei nicolau de oliveira, empenhado em arranjar um paralelo apressado com a cidade de roma, que as referiu pela primeira vez. hoje naturalmente que a cidade ocupa muitas mais e nem aquelas na altura eram sete. por exemplo, a colina da graça foi “esquecida” por frei nicolau, uma vez que, chegando a lisboa pelo mar, a mesma é encoberta pela do castelo, perfazendo assim oito colinas. acontece que este facto impossibilitava a imitação ou a similaridade com roma e, como era mais conveniente imitá-la, assim ficou até aos dias de hoje.

outro facto é que, até 1597, as colinas de santa catarina do monte sinai e a das chagas formavam apenas um monte, o chamado pico de belveder, que tinha uma povoação que mais tarde foi inserida na malha urbana de lisboa. porém, nesse ano, verificou-se uma derrocada devido a um tremor de terra, que cavou a depressão onde hoje se situa o elevador da bica, criando-se assim as duas colinas actuais. sem este acidente frei nicolau teria tido algumas dificuldades, duas décadas depois, em encontrar sete colinas visíveis do estuário do rio tejo.

com tantas histórias e curiosidades à mistura calcei as sapatilhas e fui percorrê-las, comprovando uma vez mais a singularidade da “mui nobre e sempre leal cidade de lisboa” como uma das mais interessantes capitais da europa para correr.

acompanhem-me neste percurso.

Anúncios

One comment

  1. Olá Paulo
    Bem engendrada a ligação da História da cidade ao percurso das tuas corridas.:):)
    ——————–
    Mais valia eu tb ter ido correr por essas colinas da cidade de Lisboa.
    Aquela meia-maratona em que participei,não me trouxe “nada de novo”
    ——————-
    Continua a correr e a descobrir os belos lugares que existem nesta cidade.

    com os cumps
    J.Lopes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s