Ciclovias de Lx. Avenidas novas.

sardinha

Desta vez, com o pretexto de tomar um pequeno almoço tardio, fiz um passeio entre a ponte ciclopedonal da Avenida Calouste Gulbenkian e o jardim do Arco do Cego, os dois pontos que, numa lógica de percurso contínuo, enquadram a ciclovia da Avenida Duque de Ávila.

ciclovias lx

Começo por percorrer o troço com aproximadamente 1,2 km que faz a ligação entre a ponte Arq. Ribeiro Teles e a Av. Marquês da Fronteira, em S. Sebastião, passando pela Praça de Espanha e fundação Calouste Gulbenkian.

Duque de Ávila 3

O movimento nesta ciclovia é assinalável, sendo a faixa vermelha disputada partilhada por ciclistas e peões durante a totalidade do trajecto.

da1

alt da 1

Terminado este troço chego à Av. Duque de Ávila e à ciclovia das Avenidas Novas. Era aqui que, em junho de 2009, deveria ter arrancado o projecto piloto da rede partilhada de bicicletas, utilizáveis a partir de 250 estações de aluguer. Esta fase experimental era para se realizar com 500 das 2.500 unidades previstas, a distribuir por 50 estações. Mais Um projecto cheio de boas intenções mas que nunca passou disso mesmo…

No entanto, existe um local de paragem obrigatória, no número 120 A, que dá pelo nome de Velocité Café. No primeiro “velo” café português, também loja e oficina, tudo gira à volta das bicicletas, sendo inclusivé possível estacionar o próprio meio de transporte.

Duque de Ávila 2

Velocité Café.

Pedalar requer energia. Para atender ao apetite dos ciclistas (e não só) que demandam o espaço, o Velocité Café propõe uma ementa variada e criativa, a qual podemos saborear enquanto desfrutamos o ambiente do local, ou passamos os olhos por umas das publicações dedicadas às bicicletas e ao estilo de vida que lhes está associado. Um local com muita pedalada que recomendo vivamente.

Duque de Ávila 1

Alimentando o processo criativo…

Confortado o estômago é tempo de retomar o percurso. Apesar de bem visível, a pista vermelha é constantemente ocupada pelos peões, quiçá por ser mais suave para os sapatos do que a calçada em volta. Os passeios estão bem arranjados e são bastante largos, mas a atração por caminhar na ciclovia é, aparentemente, irresistível…

Duque de Ávila 4

O traçado desta ciclovia implica atravessamentos complicados, daí que tenha sido dada especial atenção à sinalização existente nos vários cruzamentos, através da colocação de semáforos específicos e do suave rebaixamento dos passeios. O primeiro destes locais é a Av. Marquês de Tomar, seguindo-se a Av. 5 de outubro. Na Av. da República há que tomar cuidados redobrados devido ao enorme movimento que este eixo sempre apresenta. Segue-se a Av. Defensores de Chaves, a última travessia antes deste troço terminar, uns metros adiante, no jardim do Arco do Cego.

da 3

alt da 3

Circular em segurança ao longo destes 2 km implica duas atitudes por parte de quem pedala: uma boa dose de paciência e o cumprimento rigoroso das regras de trânsito. A primeira para não atropelar nenhum peão e a segunda porque os atravessamentos requerem muita atenção.

da total

alt da total

Esta é a quarta crónica que dedico às ciclovias de Lisboa, pelo que começo a ficar com uma ideia muito definida sobre o que é pedalar pelas ruas da capital. Voltarei a este tema em concreto, mas posso adiantar que integrar as palavras civismo, peões, automobilistas e ciclistas numa frase pela positiva é um exercício de difícil conjugação.

Modas e boas intenções não chegam para alterar a realidade…

assinatura bike

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s