Escolhas pessoais

runner

Ao longo destes anos de corrida tenho experimentado, com maior ou menor grau de sucesso, vários produtos e acessórios que visam facilitar e tornar mais recompensadora a prática da modalidade.

Aspectos comerciais à parte, a verdade é que alguns se tornaram absolutamente indispensáveis, outros interessantes mas dispensáveis, muitos totalmente dispensáveis, sendo impressionante o ritmo a que novas propostas chegam ao mercado, com as mais diversas promessas de benefícios para os seus utilizadores. Porém, entre promessas e desilusões, existem sempre aqueles produtos e gadgets, mais ou menos inovadores, mais ou menos tecnológicos, com os quais beneficiamos em maior ou menor grau pela sua adopção ou utilização.

Abaixo deixo a minha lista dos 10 essenciais que venho utilizando, de acordo com o grau de importância que lhes atribuo. Podia correr/treinar sem alguns deles? Poder, podia… mas não era a mesma coisa!

1 – Sapatilhas. Adequadas à morfologia do pé e tipo de passada, bem como às superfícies/locais onde corremos (estrada ou trail, mas também pista). Na essência enquadramo-nos em três categorias (pronador, supinador e neutro), pelo que saber qual o tipo de pé e passada permitirá o uso das sapatilhas adequadas à biomecânica individual, prevenindo as lesões e aumentando o conforto. O número de pares fica ao critério/posses de cada um. Asics, Nike, New Balance, The North Face.

2 – Equipamentos em fibras naturais/técnicas. Conforto, leveza, performance e regulação de temperatura. Frescos quando o calor se faz sentir, quentes quando o frio aperta, confortáveis em todas as situações. Opto cada vez mais por peças em lã de merino dado que cumprem, na perfeição, os pressupostos acima enunciados. Gore Running, Smartwool.

3 – Meias. Específicas para corrida e com as mesmas características técnicas acima mencionadas. É fundamental que os pés se mantenham secos e confortáveis, de forma a evitar o aparecimento das sempre desagradáveis bolhas. Falke, X-Socks, Thor-lo, Smartwool, Balega.

4 – Protector solar e bálsamo anti-fricção. Todo o ano. O primeiro para evitar os escaldões e o segundo para aliviar as assaduras e o desconforto provocado pela fricção da roupa na pele. Riemann P20, Body Glide.

5 – Chapéu. Todo o ano. Para proteger do sol e, no tempo frio, ajudar a manter a temperatura corporal.

6 – Bebidas isotônicas e suplementos energéticos. Repõem o equilíbrio electrolítico, os níveis de glicogénio e promovem a recuperação (a cerveja também entra nesta categoria). Porém só em/após provas ou treinos com duração superior a 90 minutos ou em dias de muito calor. Para correr melhor e com menos fadiga. Nuun, Gu, SISloiras e morenas frescas. 

7 – Monitor de frequência cardíaca com gps. Para gerir os níveis de esforço e os ritmos de uma forma adequada. E depois ver por onde andamos, as distâncias percorridas, a altimetria. Pode não ser essencial para alguns, mas depois de experimentarmos não queremos outra coisa. Garmin.

8 – Pulseira ou placa de identificação. Normalmente não damos atenção nenhuma ao tema, mas os acidentes acontecem. Indispensável para quem costuma correr sozinho. A identificação e um número de telefone para contacto em caso de emergência podem salvar uma vida. Road ID, iDee.

9 – Óculos. Com lentes fotocromáticas (de preferência), escurecem ou clareiam de acordo com a luminosidade do momento. Para maior conforto e acuidade visual e protecção contra os elementos. Rudy Project.

10 – Gelo. Sempre e durante todo o ano para combater as inevitáveis dores e inflamações. O melhor amigo do desportista.

A indústria do equipamento e material desportivo está mais dinâmica do que nunca, promovendo uma oferta infindável em quantidade e qualidade. Equipamentos e gadgets que aqui há meia dúzia de anos eram um sonho ao alcance de poucos, estão hoje amplamente disponíveis e acessíveis. Assim sendo, por que não experimentar?

Anúncios

2 comments

  1. Reconheço a importância desses 10 itens mas para mim absolutamente fundamenta são os sapatos devidamente adaptados as minhas condições morfológicas até porque só um pronador severo e sem esse cuidado estaria sempre com lesões.
    GPS tenho um já velhinho (sem monitor de frequência cardíaca) e a necessitar, urgentemente de reforma, mas o orçamento não dá para isso.
    Também não dispenso chapéu e mesmo quando chove porque evita-me a chuva nos óculos.
    Também tenho cuidado com as meias embora as mesmas não sejam topo de gama.
    Para evitar assaduras e as bolhas nos pés uso a vulgar e barata vaselina.
    Recentemente ofereceram-me um impermeável daqueles que são respiráveis de modo a um sujeito não se molhar mas também não fazer sauna dentro dele.
    Ainda não tive oportunidade do experimentar.
    No restante vai-se improvisando.
    Claro que gostaria de ter outro tipo de equipamento mas não tenho verba para isso.
    Temos que ver que comecei a correr em 1980 quando o material era muito diferente da actualidade por isso tenho a vantagem de conseguir correr com muito menos tecnologia o que é um grande vantagem quando se é um corredor desempregado como eu e o dinheiro não abunda e até é muito escasso menos.
    Fosse eu um corredor “moderno” e iria sentir-me muito mas órfão da tecnologia. Assim vai-se aguentado e não se perde a felicidade que é correr!
    Nota: e claro o gelo é sempre abundante aqui por caso até porque ando sempre com algum, ou vários, empenos! :)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s