no aqueduto

aqueduto

No dia Internacional dos Monumentos e Sítios o Museu da Água fez o convite e eu aceitei-o.

A proposta foi atravessar de bicicleta os 941 m do Aqueduto das Águas Livres, a maior obra de engenharia hidráulica construída em todo o mundo durante o século XVIII, imponente nos seus 35 arcos (14 ogivais e 21 em volta perfeita) que se elevam a 65 metros de altura sobre o Vale de Alcântara.

Para além da panorâmica da cidade de Lisboa que esta monumental obra possibilita desde 1799, o ano da sua conclusão, muitas histórias e lendas têm o Aqueduto como pano de fundo, pelo que, para os mais curiosos, recomendo a leitura dos livros O assassino do Aqueduto de Anabela Natário e Nove mil passos de Pedro Almeida Vieira.

Apreciadas as vistas foi tempo de trilhar a Pista do Aqueduto, a qual acompanha parte do seu traçado subterrâneo no percurso da Rota da Água.

aqueduto

alt aq

monsanto lx1

Anúncios

2 comments

    1. Esta é daquelas imperdível, a pé ou de bicicleta. A vista é absolutamente incrível e o Aqueduto é um monumento incontornável na cidade. Quem sabe se para o ano o Museu da Água repete a iniciativa. Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s