#o caminho para nyc 2015#

10 mandamentos

ten_commandmentsTreinar, correr e aprender. Cumprido o grande objectivo de 2015, a participação na Maratona de Nova Iorque, quais os ensinamentos mais importantes que retive de todo o processo? Escolhi dez, aqueles que do meu ponto de vista fizeram a diferença pela positiva (na corrida e na vida…)

1- Fazer/confirmar a inscrição no evento imediatamente a seguir à tomada de decisão;

Pelo impacto psicológico e pelo comprometimento daí decorrentes.

2- Ter um plano de treinos realista;

Adequado às capacidades físicas e disponibilidade de tempo. E ter em conta que, no limite, é melhor ter um mau plano do que não ter plano nenhum.

3- Estar preparado para fazer alguns muitos os necessários ajustes no dia-a-dia;

Cumprir um plano de treinos para uma prova exigente como a maratona implica sacrifícios, tanto a nível pessoal como profissional. Mas por mais importante que seja o projecto não podemos viver só em função dele. Não é a corrida que me põe a comida na mesa nem me paga as contas…

4- Adoptar um objectivo alcançável;

Pode ser simplesmente terminar, baixar das 6, 5 ou 4 horas, o que for! Tem é que ser realista e ajustado à capacidade individual de cada um. Conhecedor do grau de dificuldade da prova fui para a mesma com 3 cenários em mente: bom (4h05 – 4h10), óptimo (3h56 – 4h04) e excelente (<3h55). Todos positivos pois terminar uma maratona, independentemente do tempo obtido, já é uma vitória em si mesmo. Tudo o resto seria menosprezar o esforço e os sacrifícios feitos ao longo dos meses de treino, uma desconsideração comigo e com todos aqueles que me aturaram durante esse período.

5- Complementar o treino de corrida com outras actividades aeróbicas e/ou holísticas;

Treino funcional, natação, condicionamento total, body pump, pilates, body balance, yoga. Qualquer actividade que complemente a corrida e trabalhe outros grupos musculares.

6- Incluir uma rotina periódica de alongamentos;

Fundamental após cada treino. Alongar para manter os músculos mais elásticos, prevenindo lesões. Pilates sempre que possível pelos efeitos benéficos a nível postural e da respiração.

7- Massagem desportiva e/ou de recuperação;

Conhecer um massagista/fisioterapeuta desportivo é como ter um seguro de saúde. Há uma altura em que vamos (inevitavelmente) ter que recorrer a ele. O ideal é fazer regularmente e com carácter preventivo.

8- Ouvir o corpo;

Descansar é parte integrante e fundamental de qualquer plano de treinos. Forçar para além dos nossos limites é meio caminho andado para lado nenhum.

9- Regime alimentar adequado;

Somos aquilo que comemos. Variedade e equilíbrio são essenciais.

10- Suplementos multi-vitamínicos;

Vitaminas, sais minerais, oligo-elementos e anti-oxidantes. A alimentação no dia-a-dia nem sempre aporta as doses necessárias destes nutrientes. A toma periódica de um suplemento ajuda a combater o enorme stress oxidativo a que o organismo é submetido, e contribui para reforçar as defesas do mesmo.

“Ter clareza de propósitos e de objectivos, paixão pelo que se faz e coragem para fazer escolhas e segui-las, mesmo que aos outros pareça estranho. Em resumo, determinação e disciplina.”

As palavras são de Cathy O´Dowd, a primeira mulher a escalar o Everest pelas vertentes norte (25 de Maio 96) e sul (29 de Maio de 99).

a maratona de nova iorque. #12. obrigado.

Numa maratona, como na vida, ser bem sucedido e atingir o(s) objectivo(s) a que nos propomos dá muito trabalho.

Cruzar a linha de chegada em Nova Iorque foi, em grande parte, o resultado do empenho e da persistência individual, mas não posso deixar de agradecer aos dois amigos e companheiros de jornada que ajudaram a tornar possível o desfecho alcançado: o José Urbano e o Cláudio Silva.

urbano e claudio

O Urbano por me ter ajudado a chegar ao dia decisivo sem lesões e o Cláudio por me ter levado à melhor forma física dos últimos anos.

Pela disponibilidade, pelo empenho e pelo profissionalismo demonstrados, a ambos um grande OBRIGADO!

nycm15