pedestrianismo

alto do duque (novo)

Alto do Duque. O percurso 11 – amarelo torrado na nova marcação da rede de percursos do PFM.

Uma proposta nova traçada na zona sul e limitrofe do PFM, que foi buscar o nome ao forte implantado em terrenos que integravam a quinta do Duque do Cadaval, que já existia no séc. XVII e onde, em 1717, D. João V vinha com alguma frequência.

O ponto inicial e final do percurso situa-se frente às instalações do antigo Aquaparque. Tomando o sentido dos ponteiros do relógio passei o colégio de São José e o hospital São Francisco Xavier até chegar ao Forte do Alto do Duque. Um começo com um cariz muito urbano, porém o cenário torna-se mais natural após este local.

Situado a 75 metros de altitude com domínio sobre a baixa de Algés e a barra do rio Tejo, foi construído entre 1875 e 1890. Fazia parte do sistema defensivo de Monsanto e integrava a linha de defesa imediata de Lisboa, tendo como missão principal interditar a passagem pela barra do Tejo e, adicionalmente, impedir o acesso a montante da linha Belém – Trafaria.

Classificado como Monumento de Interesse Público, é a única fortaleza do tipo austríaco existente na Península Ibérica. O forte de planta pentagonal irregular está enterrado, ficando ao nível da cota do terreno, sendo composto por fosso, pelo edifício independente da caserna e pelo reduto interior, uma construção de planta centralizada com cisterna de abóboda tornejante.

Em 1932 serviu de base para um destacamento militar com o mesmo nome, unidade de confiança do regime e denominada de Ordem Pública. Nos anos mais recentes e até 2015 o forte foi a sede do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), sendo atualmente ocupado pelos serviços de Investigação Criminal da PSP de Lisboa.

A partir deste ponto e após o clube de ténis o percurso começa, finalmente, a decorrer num cenário mais aprazível por trilhos bastante frondosos. No ponto mais elevado, o heliporto do hospital, proporciona vistas abrangentes sobre a barra do rio Tejo e a zona baixa de Algés e Miraflores. A parte final faz-se pelos caminhos da parte baixa da Encosta do Gravato, contornando o perímetro do Aquaparque.

Apesar do betão e da proximidade do IC17 / CRIL, é uma proposta que vale a pena percorrer numa área que é das menos conhecidas do PFM.

Características do percurso – piso: misto (terra batida, empedrado e alcatrão); distância: 4,6 km; retorno: não (circular); água: sim; estacionamento: fácil; grau de dificuldade (1 a 5): 2; coordenadas gps do ponto inicial/final: n38º 42.69′, w9º 12.93′; altimetria: gráfico abaixo.

baixo

altimetria ad

monsanto lx1