provas

trail de oeiras. #5.19

A 5ª prova do ano foi na edição inaugural do Oeiras Trail. A Fábrica da Pólvora de Barcarena acolheu os participantes deste novo evento, o qual incluíu duas versões – longo e curto – que atraíram um bom número de participantes (187 e 267 classificados no tl e tc, respetivamente).  

Fiz a prova curta que decorreu por um percurso pouco técnico, cuja principal dificuldade consistiu no desnível que apresentou. Gostei particularmente da 2ª parte do traçado, mais diversa nas vertentes técnica e paisagística, e na qual “fui ao tapete”, algo que não acontecia há largos anos.

Da “performance” pouco a dizer, dado que actualmente limito-me a ir até à linha de chegada sem outras preocupações que não desfrutar do momento. Assim sendo, os 78 minutos que levei a cumprir a prova foram mais do que satisfatórios, pese embora a quase total ausência de treinos. Em definitivo fui acometido pelo síndrome S.O.S (slower.older.smarter/mais lento.mais velho.mais “esperto”), e sinto-me muito bem neste registo! Quem diria…

Para concluir fica a nota positiva para a organização que proporcionou uma prova segura e atenta aos pormenores essenciais. Pela minha parte não encontrei nada digno de crítica ou causador de insatisfação, pelo que endereço os parabéns a todos os que tornaram possível a 1ª edição do Oeiras Trail. 

cursa diagonal. #4.19

Ildefons Cerdà i Sunyer (1815 – 1876) foi um engenheiro urbanista e político catalão responsável pelo plano de extensão e reforma (Plan de Ensanche) da cidade de Barcelona.

Durante a década de 1850 Cerdà iniciou os estudos sobre a cidade tendo em vista a sua extensão. Esta estava limitada pelas antigas muralhas que, perdida a função de proteção, impediam então o crescimento da urbe.

Em 1854 é tomada a decisão de as derrubar, abrindo o caminho para a transformação da cidade pelo aumento da sua área total, fornecendo uma alternativa mais ordenada de ruas e quarteirões em comparação à confusa trama do centro histórico de então. A contenção da cidade nestes limites havia aumentado grandemente sua densidade e criado problemas de comunicação com o exterior.

A base do plano foi um sistema de vias e quarteirões que se poderiam estender indefinidamente, à medida que a cidade fosse crescendo. Cerdà criou uma hierarquia viária onde pequenas ruas “desaguavam” em ruas maiores que por sua vez “desaguavam” em grandes avenidas. Para explicar este conceito hierárquico utilizou a analogia de pequenos rios desaguando em rios cada vez maiores e mais largos, num plano conhecido principalmente pela representação gráfica da sua retícula característica.

Apresentou um sistema pormenorizado que distribuía parques, indústria, comércio e residências de forma equilibrada. As avenidas principais formam estruturas que coordenam a expansão dos quarteirões, idealizados como espaços abertos que permitiam um maior fluxo de pessoas e de ar pela cidade, que poderiam ser complementados por áreas verdes.

O Plan de Ensanche foi submetido a concurso em 1859 e aprovado em maio de 1860, o qual contemplou a construção da Avinguda Diagonal, a artéria que recebe a Cursa Diagonal da cidade Condal e na qual participei na 7ª edição.

Uma das vias principais da cidade, com uma largura constante de 50 m e 11 km de comprimento, tem em quase toda a sua extensão um passeio central para peões. Começa no Distrito de Sant Martí, à beira mar, e cruza diagonalmente a cidade na direcção de Lérida e Madrid, terminando na Ronda de Dalt. Intersecta a Avinguda Meridiana na Plaza de las Glorias Catalanas, cortando obliquamente a quadrícula do bairro de Eixample.

Esta prova faz o percurso inverso ligando a montanha ao mar, ou seja, começa no Palau Reial de Pedralbes e termina no Passeig Garcia Faria frente ao mar. É uma das três provas de 10 km mais participadas da cidade – Bombers, La Mercè e Diagonal – e com um percurso muito favorável em termos de desnível.

Bem organizada e com um percurso cheio de pontos de interesse, numa cidade que é um museu ao ar livre, resumem a Cursa Diagonal DiR Guardia Urbana que na 7ª edição registou mais de cinco milhares de participantes à chegada.

De puta madre!