trail

circuito lisboa trail 2019

Num ano pautado pela (muito) reduzida participação em provas, ainda assim estive nos eventos inaugurais de Palmela e de Mafra da 3ª edição do Circuito Lisboa Trail.

Um circuito que decorreu ao longo de 11 etapas, mais a prova de Almada realizada a 10 de novembro, que entrou como extra mas não contou para a classificação geral final.

Concluíram as diversas provas do circuito nas duas variantes 8.410 participantes – 4.634 no trail curto e 3.776 no trail longo – números que confirmam a validade desta proposta.

O Circuito Lisboa Trail regressa em 2020, pelo que voltarei ao tema em breve.

trail de oeiras. #5.19

A 5ª prova do ano foi na edição inaugural do Oeiras Trail. A Fábrica da Pólvora de Barcarena acolheu os participantes deste novo evento, o qual incluíu duas versões – longo e curto – que atraíram um bom número de participantes (187 e 267 classificados no tl e tc, respetivamente).  

Fiz a prova curta que decorreu por um percurso pouco técnico, cuja principal dificuldade consistiu no desnível que apresentou. Gostei particularmente da 2ª parte do traçado, mais diversa nas vertentes técnica e paisagística, e na qual “fui ao tapete”, algo que não acontecia há largos anos.

Da “performance” pouco a dizer, dado que actualmente limito-me a ir até à linha de chegada sem outras preocupações que não desfrutar do momento. Assim sendo, os 78 minutos que levei a cumprir a prova foram mais do que satisfatórios, pese embora a quase total ausência de treinos. Em definitivo fui acometido pelo síndrome S.O.S (slower.older.smarter/mais lento.mais velho.mais “esperto”), e sinto-me muito bem neste registo! Quem diria…

Para concluir fica a nota positiva para a organização que proporcionou uma prova segura e atenta aos pormenores essenciais. Pela minha parte não encontrei nada digno de crítica ou causador de insatisfação, pelo que endereço os parabéns a todos os que tornaram possível a 1ª edição do Oeiras Trail.